Saúde

Saúde

Brasil registra primeiro caso local de cólera em 18 anos, diz ministério

22/04/2024


 

Pela primeira vez em 18 anos, o Brasil registrou um caso autóctone de cólera, ou seja, em que o paciente contraiu a doença no próprio país e não em viagem para regiões afetadas. O caso foi detectado em Salvador, na Bahia.

Nota técnica assinada pela Secretaria de Vigilância em Saúde e Ambiente informou que a bactéria causadora da doença (Vibrio cholerae) foi identificada em um homem de 60 anos, que não tinha viajado recentemente a países com ocorrência de cólera, nem tido contato com algum outro caso confirmado ou mesmo suspeito.

O homem apresentou sintomas de desconforto abdominal e diarreia em março e já está curado.

Essa publicação é um oferecimento

RÁDIO FAROL - TOUROS

Saúde

Brasil atinge 1,6 mil mortes confirmadas por dengue

21/04/2024


 

O Brasil alcançou a marca dos 1.601 óbitos por dengue confirmados em 2024. Além disso, outras duas mil mortes seguem em investigação e podem ter sido causadas pela doença, totalizando 3,6 mil mortes confirmadas ou suspeitas até o momento. Os dados são do painel de casos do Ministério da Saúde atualizado nessa sexta-feira 19.

O número de mortes confirmadas é 35% superior a todo o ano de 2023, quando 1.179 brasileiros perderam a vida para doença. A diferença entre os casos ainda em investigação de 2023 e 2024 supera os 1.707%. Do ano passado, apenas 114 ocorrências seguem em investigação.

Em relação aos casos prováveis da doença, os números chegam a 3,535 milhões em 2024 contra 1,649 milhão em 2023, aumento de 114%. Já o coeficiente de incidência de casos por 100 mil habitantes cresceu de 773 em 2023 para 1.741 casos prováveis para cada 100 mil brasileiros em 2024.

As mulheres são as mais afetadas pela doença, representando 55% das ocorrências prováveis, contra 44% de pessoas do sexo masculino. A faixa etária mais afetada é dos 20 aos 29 anos, com 358 mil mulheres dessa faixa etária atingidas contra 299 mil homens.  

Apesar do aumento expressivo no número de casos e óbitos, a letalidade da doença em relação ao total de casos teve leve redução. De uma letalidade de 4,83% em casos graves em 2023 para 4,35% em 2024. Além disso, a letalidade dos casos prováveis passou de 0,07% para 0,05% no mesmo período.

 

Estados

Proporcionalmente, as unidades da federação com a situação mais grave da doença, índice calculado por casos prováveis a cada 100 mil habitantes (coeficiente de incidência), são: Distrito Federal (7,9 mil x 100 mil); Minas Gerais (5,3 mil x 100 mil); Paraná (3,0 mil x 100 mil); Espírito Santo (2,9 mil x 100 mil); Goiás (2,5 mil x 100 mil); Santa Catarina (2,0 mil x 100 mil); São Paulo (1,8 mil x 100 mil); e Rio de Janeiro (1,3 mil x 100 mil).

Na parte embaixo da tabela, com os melhores índices de incidência, estão os estados de Roraima (36 casos x 100 mil); Ceará (96 casos x 100 mil); Maranhão (128 casos x 100 mil); Sergipe (137 casos x 100 mil) e Alagoas (152 casos x 100 mil).

 

AGORA RN

Essa publicação é um oferecimento

LOJAS MG

Saúde

Apenas 21% do público-alvo se vacinou contra a gripe no Brasil

21/04/2024


 

Quase um mês após o início da vacinação contra a gripe no Brasil, apenas 21% do público-alvo recebeu o imunizante. De acordo com dados do Ministério da Saúde, pouco mais de 14 milhões de pessoas foram vacinadas. A meta é imunizar 75 milhões de brasileiros.

Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Bahia e Rio de Janeiro, além do Distrito Federal, são os estados com as menores porcentagens da população vacinada. Nesses locais, a cobertura vacinal não passa de 17%.

Por conta do aumento da circulação de vírus respiratórios no país, o ministério antecipou a campanha anual, que normalmente ocorre entre os meses de abril e maio.

Oficialmente, a imunização nacional começou no dia 25 de março, mas em alguns locais a vacinação se iniciou ainda mais cedo, conforme a chegada de doses – medida que foi orientada pelo próprio Ministério da Saúde.

 

O público-alvo elegível para tomar a vacina da gripe pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é formado por:

 

Crianças de 6 meses a menores de 6 anos;

Crianças indígenas de 6 meses a menores de 9 anos;

Trabalhadores da Saúde;

Gestantes;

Puérperas;

Professores dos ensinos básico e superior;

Povos indígenas;

Idosos com 60 anos ou mais;

Pessoas em situação de rua;

Profissionais das forças de segurança e de salvamento;

Profissionais das Forças Armadas;

Pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais (independentemente da idade);

Pessoas com deficiência permanente;

Caminhoneiros;

Trabalhadores do transporte rodoviário coletivo (urbano e de longo curso);

Trabalhadores portuários;

Funcionários do sistema de privação de liberdade;

População privada de liberdade, além de adolescentes e jovens sob medidas socioeducativas (entre 12 e 21 anos).

A vacina também pode ser encontrada em clínicas particulares para quem quiser se imunizar e não estiver no público prioritário.

 

g1

Essa publicação é um oferecimento

Open Master - Agência de Desenvolvimento Web

Saúde

Para Anvisa, cigarro eletrônico é droga fatal e não deve ser comercializado no Brasil; Decisão também proíbe fabricação

20/04/2024


 

A maioria dos diretores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) votou nesta sexta-feira (19) por manter a proibição aos cigarros eletrônicos no Brasil. Com esse placar, continua proibida a comercialização, fabricação e importação, transporte, armazenamento, bem como de publicidade ou divulgação desses produtos por qualquer meio. O tipo de cigarro é proibido no país desde 2009.

Os dispositivos eletrônicos para fumar (DEFs), conhecidos como cigarros eletrônicos, são chamados de vape, pod, e-cigarette, e-ciggy, e-pipe, e-cigar e heat not burn (tabaco aquecido). O diretor-presidente da Anvisa e relator da matéria, Antonio Barra Torres, votou favorável à manutenção da proibição desses dispositivos.

“O que estamos tratando, tanto é do impacto à saúde como sempre fazemos, e em relação às questões de produção, de comercialização, armazenamento, transporte, referem-se, então, à questão da produção de um produto que, por enquanto, pela votação, que vamos registrando aqui vai mantendo a proibição”, disse Antonio Barra Torres, Diretor-presidente da Anvisa.

Essa publicação é um oferecimento

DROGARIA POUPE JÁ

Saúde

RN tem segundo menor número de mortes por dengue do Brasil

20/04/2024


 

O Painel de Monitoramento de Arboviroses, disponibilizado pelo Governo Federal, mostra que o Brasil registrou 1.544 mortes confirmadas por dengue durante 2024, com dados contabilizados até 18 de abril. O Rio Grande do Norte ocupa o segundo menor número de mortes confirmadas em todo país, com apenas um caso. O quantitativo é igual aos estados do Ceará e Tocantins.

Não registaram mortes confirmadas de dengue os estados do Acre e Roraima. A lista com maiores casos é liderada por São Paulo (320), Distrito Federal (270), Minas Gerais (261), Rio de Janeiro (116) e Goiás (116).

De acordo com informações da Secretaria de Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sesap), a morte confirmada por dengue no Estado aconteceu no final do mês de março, na Região do Alto Oeste. O paciente era um “adulto jovem” e sem comorbidades registradas.

Até 18 de abril, o balanço do Painel de Monitoramento de Arboviroses mostra que o Rio Grande do Norte tem 12.374 casos prováveis de dengue, 2.274 confirmados, e duas mortes em investigação.

 

Tribuna do Norte

Essa publicação é um oferecimento

Open Master - Agência de Desenvolvimento Web

Saúde

SALVANDO VIDAS: Hospital regional Josefa Alves Godeiro é destaque na linha de Cuidado do Infarto Agudo do Miocárdio

19/04/2024







 

O projeto Sprint iniciou no ano de 2022 em virtude do Estado do RN ter os piores indicadores do Brasil e do mundo em relação a mortalidade por infarto

No hospital regional Josefa Alves Godeiro a Linha de Cuidado do Infarto Agudo do Miocárdio (LCIAM) foi implementado no ano de 2023 e completou esse mês

O hospital se destacou no RN pela redução da mortalidade por infarto em mais de 50%, outros indicadores como tempo porta x eletro (ECG) e Porta x agulha tem sido também uma marca do hospital que tem se destacado positivamente como um dos melhores hospitais em relação ao LCIAM

Vale ressaltar que o projeto Sprint/LCIAM trata-se de uma parceria Público - Privado firmado entre a Secretária de Estado da Saúde Pública (SESAP-RN) e Boehringer (industria farmacêutica alemã) fabricante do trombólitico Alteplase o único utilizado em casos de IAM

Essa publicação é um oferecimento

RÁDIO FAROL - TOUROS

Saúde

Anvisa decide hoje se mantém proibida a venda de cigarros eletrônicos

19/04/2024


 

A diretoria da Anvisa se reúne nesta sexta-feira (19) para discutir se mantém a proibição no Brasil sobre a comercialização dos cigarros eletrônicos (também chamados de vapes).

Desde 2009, esses dispositivos não podem ser vendidos no país. Apesar disso, são facilmente encontrados no comércio popular ou online e o consumo, especialmente entre os jovens, só aumenta, com sérias consequências para a saúde.

O g1 apurou que a agência deve manter a proibição e ainda incluir pontos para endurecer o cerco aos vapes, como a recomendação de campanhas educativas e reforço na fiscalização, incluindo no meio online, principal meio onde o comércio ilegal acontece.

A consulta pública realizada pela Anvisa como parte do processo de revisão da norma vigente apontou que a maioria dos profissionais de saúde disseram ser contra a liberação no Brasil. Considerando o público participante total, quase 59% disseram ser a favor de mudar a regra atual, incluindo a liberação geral.

 

g1

Essa publicação é um oferecimento

POTIGUAR HONDA - TOUROS/RN

Saúde

Governo adia campanha de vacinação da Covid após atraso na compra de doses

18/04/2024


 

O Ministério da Saúde adiou o começo da campanha nacional de vacinação contra a Covid por causa de atraso na compra das doses.

O plano era abrir a campanha aos grupos prioritários neste mês. Mas uma compra emergencial de 12,5 milhões de doses, disputada por Pfizer e Moderna, está travada na Saúde.

A nova projeção é começar em maio a imunização contra a Covid, mas não está certo que a nova compra será concluída e quando as doses serão entregues. A última aquisição de vacinas da Covid da Pfizer foi feita em 2022, ainda na gestão Jair Bolsonaro (PL). O governo Lula assinou contrato em 2023 para receber doses da Coronavac.

A secretária de Vigilância em Saúde e Ambiente, Ethel Maciel, disse que o plano é receber as doses cerca de 7 dias após a assinatura do contrato. Ela atribui o atraso na entrega a dificuldades no processo de compra.

Ethel afirmou que o ministério não tem mais doses da vacina bivalente no estoque. Ainda há cerca de 1,5 milhão de unidades do imunizante pediátrico, segundo a secretária.

Sem novos repasses de doses da Saúde, o município do Rio já avisou a população que não há vacinas disponíveis para pessoas com mais de 12 anos. Os governos do Rio Grande do Sul e do Maranhão também afirmaram que estão sem imunizantes para este público para entregar aos municípios.

Ethel reconheceu que a falta de doses mudou planos da pasta sobre o começo da campanha da Covid e disse que já havia publicidade pronta para estimular a vacinação. “Está tudo pronto, a gente achou que fosse dar tudo certo. É a primeira vez que a gente tem uma concorrência”, disse a secretária.

Após a publicação deste texto, Ela disse à Folha que a campanha não foi adiada, pois não havia sido anunciada. Ela também corrigiu uma informação que havia repassado e disse que o processo atual de compra não será anulado. O ministério afirma que o contrato deve ser assinado nos próximos dias.

Em fevereiro, a secretária ainda disse em publicação no X, antigo Twitter, que as doses atualizadas já estavam compradas e tinham previsão de chegar ao Brasil no mês seguinte, o que não ocorreu.

A postura negacionista do governo Bolsonaro na pandemia foi um dos principais alvos de crítica do presidente Lula (PT) durante a campanha eleitoral de 2022. Questionada sobre críticas que a atual gestão pode receber pela falta de doses, Ethel disse que o ministério fez todo o possível para acelerar o contrato.

“A gente depende da aprovação da Anvisa [do registro da vacina atualizada], que aconteceu em dezembro. A gente iniciou a compra, que está acontecendo agora. Tivemos essa questão do pregão, com duas concorrentes. Do ponto de vista do Ministério da Saúde, tudo o que poderia ser feito para que o processo fosse o mais célere possível, foi feito”, disse a secretária.

A vacina bivalente, atualmente entregue pela Saúde, não é a mais atualizada para variantes da doença. “Está vindo de forma muito atrasada [a dose preparada para a variante XBB], porque a gente já sabia desde o início do ano passado que as vacinas de Covid seriam atualizadas e começariam a ser oferecidas em setembro de 2023 nos Estados Unidos”, disse Monica De Bolle, professora de economia na Universidade Johns Hopkins e mestre em Imunologia e Microbiologia pela Universidade de Georgetown.

“O nome disso é má gestão. Por mais que a gente possa gostar da Ministra da Saúde, possa gostar da coordenadora do PNI [Programa Nacional de Imunizações], elas não estão gerindo bem a situação”, afirmou ainda.

O ministério discutiu a compra de vacinas bivalentes no segundo semestre de 2023, mas travou o processo por recomendação da área técnica de esperar o registro do modelo atualizado do imunizante, já adaptado à variante XBB.

Em dezembro, a Anvisa aprovou a atualização da vacina da Pfizer contra a Covid para esta variante. Em março, a agência concedeu o registro para o imunizante da Moderna também atualizada.

Ethel disse que o ministério começou a preparar uma compra emergencial de vacinas no começo de 2024. As propostas das empresas foram entregues no começo de março.

A secretária afirma que o registro da vacina da Moderna embaralhou a compra, pois se tornou a primeira disputa de empresas por um contrato de imunizantes da Covid do ministério —antes não havia concorrência, pois só uma farmacêutica detinha os registros para o modelo que a Saúde buscava.

Mais de um mês após a abertura da disputa e quase quatro meses após a Anvisa dar aval para a vacina atualizada, a Saúde ainda não assinou o contrato de compra das doses. O ministério afirma que deve fechar a aquisição nos próximos dias.

A secretária afirmou que a orientação do ministério é, para quem está em grupo de risco, tomar a vacina que estiver disponível no posto de saúde. “Você vai ficar protegido. E depois vai ter a oportunidade de tomar, ainda neste ano, outra dose”, afirmou.

 

Folha de S. Paulo

Essa publicação é um oferecimento

LOJAS MG

Saúde

Dia D da Vacinação Contra Influenza atinge 50% da meta em São Miguel do Gostoso

17/04/2024





 

A Prefeitura Municipal de São Miguel do Gostoso, através da Secretaria de Saúde, uniu esforços à mobilização nacional da campanha de vacinação contra a Influenza (gripe), realizando um Dia D no último sábado, dia 13 de abril de 2024, A ação ocorreu na Unidade Mista de Saúde Dr. Ricardo Simione, das 8h às 14h, e envolveu equipe fixa e volante em busca de cumprir a meta de vacinação para os grupos prioritários.

O Dia D teve como objetivo imunizar os grupos prioritários, alcançando tanto os residentes quanto os grupos de passagem pelo município. Além da base fixa, uma equipe volante percorreu os bairros, realizando uma busca ativa de grupos de idosos de casa em casa, garantindo que nenhum indivíduo fosse deixado para trás.

Segundo a coordenadora de vacinas do município, Kátia Ranielle, foram aplicadas 180 doses do imunizante, atingindo, desta forma, 50% da meta pré-estabelecida. “O município precisa alcançar 95% da cobertura vacinal para considerarmos nossa população segura e atendermos as exigências propostas pelo Estado. Por isso continuaremos vacinando os grupos prioritários contra a gripe até o próximo dia 30 de maio”, informa Kátia.

Os grupos atendidos neste Dia D da Vacinação contra a Influenza abrangeram uma variedade de perfis, incluindo crianças (de 6 meses a menos de 6 anos), trabalhadores da saúde, gestantes, puérperas, professores do ensino básico e superior, povos indígenas, idosos com 60 anos ou mais, pessoas em situação de rua, pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, bem como pessoas com deficiência permanente.

 

FONTE: ACESSORIA PREFEITURA DE SÃO MIGUEL DO GOSTOSO

Essa publicação é um oferecimento

DROGARIA POUPE JÁ

Saúde

Saúde destina R$ 150 milhões a estados para estratégias de vacinação

17/04/2024


 

O Ministério da Saúde vai destinar R$ 150 milhões a estados e municípios para apoiar o desenvolvimento da Estratégia de Vacinação nas Escolas, da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e do Monitoramento das Estratégias de Vacinação no Brasil em todo o país no ano de 2024.

Do total do valor, R$ 15 milhões serão repassados aos estados e R$ 135 milhões para os municípios, em parcela única, para que os municípios possam se programar ao longo do ano. A meta é também incentivar os municípios a realizarem estratégias de vacinação envolvendo escolas. 

Segundo o Ministério da Saúde, o investimento visa incrementar ainda mais os resultados alcançados: de 2023 para cá, a pasta registrou aumento nas coberturas vacinais de 13 dos 16 principais imunizantes do calendário do Programa Nacional de Imunizações (PNI). Entre os destaques de crescimento estão as vacinas contra a poliomielite, hepatite A, febre amarela, tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba) e pneumocócica. 

O Ministério da Saúde propôs uma agenda prioritária de imunização nas escolas a ser adotada, cujo público-alvo são as crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade.

Em 2023, com as ações de microplanejamento coordenadas pela pasta, 3.992 municípios brasileiros declararam ter feito alguma ação envolvendo ações de vacinação nas escolas, como checagem de caderneta ou vacinação em ambiente escolar. 

 

Atenção ao sarampo e à poliomielite 

 

Outro objetivo do repasse é a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, que está planejada para o primeiro semestre nos 5.570 municípios. O objetivo da mobilização é ampliar a vacinação e proteger contra a poliomielite as crianças menores de 5 anos, por considerar o risco de reintrodução da doença, que está em processo de erradicação e não é diagnosticada no Brasil desde 1989.

Neste ano também, será realizada a substituição dos reforços com a vacina oral poliomielite (VOP) por um reforço com a vacina inativada poliomielite (VIP). 

Diante destes cenários e dos compromissos assumidos para a erradicação da poliomielite e a eliminação do sarampo, neste ano, serão monitoradas as estratégias de vacinação realizadas contra essas doenças, com o objetivo de identificar crianças menores de 5 anos de idade não vacinadas ou com esquema de vacinação incompleto. O acompanhamento das estratégias é considerado fundamental para reduzir as lacunas de imunidade da população. 

 

PORTAL A TARDE

Essa publicação é um oferecimento

RÁDIO FAROL - TOUROS

Saúde

Pedra Grande segue em 1° lugar em imunização contra influenza

16/04/2024


 

Neste sábado 13/04, a Secretaria de Saúde realizou a campanha Nacional de imunização contra a Influenza em Pedra Grande, onde conseguiu com sucesso zera as doses disponíveis para aplicação.

A vacinação ocorreu nas Unidades Básicas de Saúde do Centro e de Enxu Queimado, e antes das 14:00 horas nossas salas de vacinação foram fechadas pelo sucesso na aplicação da imunização.

A vacinação segue a “todos os grupos prioritários” e vocês podem acompanhar pelo perfil da @smspedragrande diariamente.

Essa publicação é um oferecimento

LOJAS MG

Saúde

Dia Nacional da Voz: Entenda a importância da prevenção e diagnóstico do câncer de laringe

16/04/2024


 

Criado no intuito de alertar e informar sobre a importância da prevenção e diagnóstico das doenças vocais, o Dia Nacional da Voz é celebrado no dia 16 de abril. Da última terça 9 até esta terça-feira 16, a Liga Contra o Câncer vai participar da Campanha Nacional da Voz que, neste ano, tem como tema “Cuidamos da Sua Voz para o Mundo Ouvir”.

Dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca) apontam que o Rio Grande do Norte deve registrar 130 novos casos de câncer de laringe neste ano. A doença pode ser causada por fatores como o tabagismo, consumo de bebidas, estresse da voz, obesidade e idade avançada. Seu tratamento varia de caso em caso, mas em algumas situações é necessário cirurgia de remoção da laringe, causando perda da voz natural.

Quanto mais cedo o diagnóstico do câncer de laringe, maiores são as chances de cura e preservação das cordas vocais, por isso é importante ficar atento aos primeiros sintomas, conta o médico Luís Eduardo Barbalho, especialista em cirurgia de cabeça e pescoço da Liga. “Rouquidão persistente que não melhora com o tratamento medicamentoso, falta de ar e dor ao ingerir os alimentos são sinais da doença”, explica.

Entre os tratamentos da doença, destaca-se a terapia fonoaudiológica, segundo Josy Amorim, fonoaudióloga da Liga. A terapia atua no acompanhamento ao tratamento para reduzir efeitos da radioterapia sobre a deglutição, desenvolvendo manobras para minimizar o desconforto e promover uma alimentação segura do paciente.

“A abordagem fonoaudiológica é voltada para promover mobilidade e tônus das estruturas tratadas ou remanescentes após procedimento cirúrgico e é desenvolvido um protocolo terapêutico personalizado para cada paciente e tipo de alteração após abordagem oncológica”, conta a fonoaudióloga.

Desde 2023, como parte do esforço para reabilitar a voz de pacientes que passaram por laringectomia total, a Liga Contra o Câncer tem realizado cirurgias para implantar próteses traqueoesofágicas. Essa iniciativa inédita no Rio Grande do Norte está integrada ao Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (Pronon) do Governo Federal. O processo teve início com a triagem em 2022 e, desde maio de 2023, já foram realizados 11 implantes da prótese. Esses pacientes recebem acompanhamento contínuo dos serviços de fonoaudiologia e de cabeça e pescoço da instituição.

Segundo o doutor Luís Eduardo Barbalho, a prótese devolve a capacidade de se comunicar através da produção da voz mais próxima da original, permitindo o convívio social com melhor qualidade de vida. “Esse trabalho ainda não é uma política pública consolidada, sendo oferecido apenas em centros de referências, como a Liga”, afirma.

Com 74 anos de atuação, a Liga Contra o Câncer é uma das principais referências do país no tratamento oncológico. Além das quatro unidades já em funcionamento, a Liga está em fase de conclusão das obras do Hospital Oncológico Pediátrico, no bairro do Alecrim, e do Centro de Diagnóstico e Ensino em Currais Novos.

 

AGORA RN

Essa publicação é um oferecimento

101 FM

Saúde

RN aplica quase 37 mil doses contra influenza no dia D

16/04/2024


 

No sábado (13) o Rio Grande do Norte realizou o Dia D de vacinação contra a influenza. A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) coordenou a ação que contou com a participação dos 167 municípios potiguares.

Somente neste dia foram aplicadas 36.779 doses da vacina. Os municípios que mais vacinaram sua população são: Severiano Melo, Pedra Grande e Caiçara do Rio do Vento com 72,57%, 71,02% e 68,76% de cobertura vacinal, respectivamente, até o sábado. No total já foram aplicadas 246.384 doses da vacina contra a influenza em todo o RN.

A capital do estado, Natal, estava até sábado com 11,67% de cobertura vacinal. Na Região Metropolitana, São José de Mipibu atingiu o percentual de 34,5%, Ceará-Mirim, 22,69%, Macaíba, 20,02%, Parnamirim, 16,3% e São Gonçalo do Amarante, 16,03%.

A campanha nacional de vacinação contra a influenza iniciou no dia 18 de março e segue até 31 de maio, vacinando o público prioritário, como crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade, gestantes, puérperas, idosos com 60 anos ou mais, professores e povos indígenas. A meta é imunizar, pelo menos, 90% de cada um dos 17 grupos prioritários para a campanha, que no RN somam 1,3 milhão de pessoas.

Essa publicação é um oferecimento

DROGARIA POUPE JÁ

Saúde

Dia D de vacinação contra influenza acontece no RN neste sábado

13/04/2024


 

O Rio Grande do Norte realiza neste sábado (13) o Dia D de vacinação contra a influenza. O Dia D tem como objetivo principal acelerar a cobertura da proteção vacinal contra a influenza entre os grupos prioritários. Para se vacinar, a população deve procurar uma unidade básica de saúde que esteja aberta no seu município durante esse sábado. A campanha segue até 31 de maio e a meta é imunizar, pelo menos, 90% de cada um dos 17 grupos prioritários como crianças, gestantes, puérperas, idosos com 60 anos ou mais e povos indígenas, que no RN somam 1,3 milhão de pessoas. Até o início desta sexta-feira (12), pouco mais de 178 mil doses já tinham sido aplicadas desde o início da campanha de vacinação, em 18 de março.

Desde o início do ano até o dia 6 de abril, o RN teve 530 notificações de internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), que inclui a influenza. Desse total, 28 casos de internações ocorreram por influenza, 25 casos por outros vírus respiratórios, 189 casos por vírus não especificados laboratorialmente e 179 casos encontram-se em investigação. Nesse mesmo período, foram registrados 64 óbitos por SRAG.

 

A ação coordenada pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) conta com a participação dos 167 municípios potiguares

 

Grupos prioritários

 

• Crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade

• Trabalhador da saúde

• Gestantes

• Puérperas (até 45 dias após o parto)

• Professores do ensino básico e superior

• Povos indígenas

• Quilombolas

• Idosos com 60 anos ou mais de idade

• Pessoas em situação de rua

• Profissionais das forças de segurança e salvamento

• Profissionais das Forças Armadas

• Pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais independentemente da idade

• Pessoas com deficiência permanente

• Caminhoneiros

• Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário para passageiros urbanos e de longo curso

• Trabalhadores portuários

• População privada de liberdade e funcionários do sistema de privação de liberdade, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas

Essa publicação é um oferecimento

ATELIÊ DO AÇAÍ

Saúde

João Câmara realiza Dia D de vacinação contra Influenza neste sábado

13/04/2024


 

Neste sábado (13), acontece o Dia D de intensificação da vacina contra a Influenza em João Câmara. A imunização acontece no Centro de Especialidade Médicas (CEM) e em todas as ESFs, das 8h às 17h, com a intenção de reforçar a proteção da população contra o vírus da gripe.

A campanha de vacinação contra a influenza iniciou-se no 14 de março em Natal para grupos prioritários que possuem maior risco do quadro da infecção pela doença evoluir para casos mais graves. Cerca de 234 mil pessoas estão aptas a serem vacinadas no município.

Esse Dia D de intensificação, serve como mais uma oportunidade para as pessoas aptas a se imunizarem procurarem uma unidade de saúde mais próxima da sua residência e se protegerem contra a doença, principalmente neste período de aumento de casos de síndromes gripais. Confira os locais de vacinação no banner abaixo:

 

Essa publicação é um oferecimento

MG ENERGIA SOLAR

Saúde

Apresentador Faustão recebe alta hospitalar após quase dois meses internado

13/04/2024


 

Fausto Silva, 73, recebeu alta do hospital Albert Einstein, onde está internado há quase dois meses, nesta sexta-feira (12). Faustão foi internado no final de fevereiro após apresentar problemas no transplante de rim.

“O paciente seguirá sob as orientações médicas”, diz a nota enviada à Folha de S.Paulo. O apresentador voltou a ser hospitalizado por causa do agravamento de uma doença renal crônica.

A internação ocorreu seis meses após receber um transplante de coração em agosto do último ano. O apresentador estava fazendo diálise (tratamento para suprir o mau funcionamento dos rins) desde dezembro.

Essa publicação é um oferecimento

POTIGUAR HONDA - TOUROS/RN

Saúde

Prefeitura de João Câmara inicia campanha de vacinação contra Dengue nesta quarta-feira(10)

10/04/2024


 

A Prefeitura de João câmara inicia nesta quarta-feira (10) a campanha de vacinação contra a Dengue dentro da campanha nacional de vacinação.

A campanha terá como público alvo crianças e adolescentes de 10 a 14 anos de idade. O local de vacinação será o Centro de Especialidades Médicas – CEM no horário: das 08h às 11h e das 13h às 17h.

No momento de reeber a vacina deverá ser apresentado o Cartão Vacinal, Cartão SUS ou CPF do adolescente ou responsável.

 

BLOG DO ASSIS SILVA

Essa publicação é um oferecimento

ATELIÊ DO AÇAÍ

Saúde

Influenza: Pedra Grande é a 1ª cidade a vacinar mais de 50% do público

09/04/2024


 

Em menos de um mês de início da campanha de vacinação contra a Influenza no Rio Grande do Norte, o município de Pedra Grande, situado na 3ª Região de Saúde, se destaca com o alcance de 54,08% do público-alvo vacinado. Em seguida no ranking, encontram-se os municípios de Lucrécia (49,02%) e Caiçara do Rio do Vento (48,36%). Os dados são do RN + Vacina desta segunda-feira (08).

A campanha segue até 31 de maio, com a realização do dia “D” de mobilização no próximo sábado (13). A meta é imunizar, pelo menos, 90% de cada um dos grupos prioritários para a campanha, sendo eles: crianças, gestantes, puérperas, idosos com 60 anos ou mais e povos indígenas, o que corresponde a uma cobertura mínima de 678.529 pessoas.  

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), por meio do Programa Estadual de Imunização, tem unido esforços junto às Regionais de Saúde e municípios, para intensificar as ações de vacinação e alcançar excelentes resultados nesta campanha.

 

BLOG DO ASSIS SILVA

Essa publicação é um oferecimento

MARE MOVEIS TOUROS

Saúde

Número de médicos quase duplica em 13 anos no RN

09/04/2024


 

O número de médicos registrados no Rio Grande do Norte quase duplicou em 13 anos, aponta levantamento do Conselho Federal de Medicina (CFM). O estudo, chamado de Demografia Médica 2024, mostra que em 2011, o Estado tinha 4.392 profissionais e hoje conta com 8.038 médicos atuando no RN, o que representa um aumento de 83% no período.

Com a progressão, a taxa de médicos por mil habitantes passou de 1,39 para 2,42 no período, ainda abaixo da média nacional que é de 2,81. O Conselho Regional de Medicina do Estado (Cremern) diz que o aumento não reflete avanço na saúde.

O presidente do Cremern, Marcos Jácome, diz que embora o número de profissionais tenha crescido, o cenário estadual ainda enfrenta diversas dificuldades para atender todas as demandas da população. “O crescimento do número de médicos no Estado não significa que seja suficiente para atender as demandas da população. Pelo contrário, sem condições de atendimento, esses profissionais terão dificuldades em atuar na prevenção de doenças e na oferta de tratamentos seguros e eficazes”, pontua.

O raio-x do CFM revelou também o perfil é majoritariamente masculino: são 4.317 médicos e 3.721 médicas. A média de idade desses profissionais é de 45,6 anos, enquanto a média do tempo de formado chega a 18,8 anos. Na distribuição pelo território, Natal concentra 69% dos profissionais, isto é, 5.534 profissionais. Os outros 2.504 estão espalhados pelas cidades do interior do Rio Grande do Norte. Na capital, são 7,31 médicos para cada mil habitantes. Já no interior, é 0,97 por mil habitantes.

 

Tribuna do Norte

Essa publicação é um oferecimento

MG ENERGIA SOLAR

Saúde

Hemonorte tem apenas 250 bolsas de sangue, mas precisa de ao menos 1 mil

05/04/2024

 

No Hemocentro de Natal, para se ter um estoque considerado satisfatório é necessário o armazenamento de 1 mil a 1,8 mil bolsas de sangue. Mas essa não é a realidade do local. Até ontem, o Hemonorte tinha cerca de 250 bolsas para serem enviadas aos hospitais que recebem atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS) da Região Metropolitana da capital potiguar.

Sobre a baixa no estoque de bolsas, a diretora de apoio técnico do Hemocentro, Miriam Mafra, explicou ao AGORA RN que devido ao feriado prolongado de Páscoa, às férias de início de ano e também aos resfriados após o período do Carnaval, muitos doadores se ausentaram e o estoque teve redução considerável. Segundo a assessoria do Centro de doação, 169 foram distribuídas aos hospitais na última quarta-feira 3.

Com a situação mais complicada, segundo a diretora, estão o estoque do tipo sanguíneo O-, quase zerado, e do O+ que também está em estado crítico. Mesmo com a pequena quantidade de bolsas, Miriam observou um acréscimo de doadores de primeira vez. No entanto, ela apontou uma certa dificuldade, não apenas em Natal, mas em todo o país, de fazer com que o doador tire sangue de madeira regular.

“Não temos no Brasil ainda, de maneira muito forte, o hábito de você fazer doação de sangue como rotina frequente. Então, o que o Brasil todo busca nas suas estratégias de captação é dar continuidade, que esse doador não só se sensibilize para vir a primeira vez, como acontece, mas que ele incorpore isso como hábito de sua vida”.

Para ela, se tornar um doador frequente traz benefícios físicos, porque renova toda a parte sanguínea do corpo e dá um salto de melhoria em relação à qualidade do sangue e na renovação celular. Além disso, ela contextualizou a importância da responsabilidade social, levando em consideração que muitas das doações feitas no País são motivadas por reposições sanguíneas para pessoas conhecidas que precisam fazer uma cirurgia, e passam a doar posteriormente de forma voluntária.

“Considerando que não temos nenhum substituto para o sangue humano, artificial nem industrial, você começa a perceber que pode dar suporte de continuidade de vida para uma pessoa que eu não conheço, mas que vai ser feito, que é imediato. Após essas bolsas serem levadas para exames sorológicos, rastreadas, ela irá, em um período de 24 horas, para a geladeira e será distribuída para os hospitais”, disse.

Além do aumento de doadores primários, Miriam afirmou que o número de jovens a partir de 16 anos também cresceu e que a intenção do Hemonorte é sempre fazer com que os acompanhantes se sensibilizem para doar, desmistificando antigos receios.

 

GESTO DE AMOR

 

Como forma de ajudar quem ama e contribuir para o estoque do Hemocentro, Anna Julia e Arnaldo Vital foram ao centro de coleta na manhã desta quinta-feira 4. A estudante de 20 anos, mesmo após afirmar que não gosta de tirar sangue, relatou que já tinha curiosidade no processo e por ter o irmão e pai doadores, decidiu começar. “Eu os via doando e tinha curiosidade. É importante porque isso salva vidas, tem muita gente que precisa. Não gosto de tirar sangue, mas achei mais tranquilo do que eu pensava, achei que ia doer mais”, falou ao AGORA RN.

Já Arnaldo, pai de Anna Julia, explicou que não doava sangue há um tempo devido a idade avançada, mas que era algo regular enquanto mais novo. No período em que morou na cidade de Maceió, em Alagoas, ele disse que recebia ligações para retirar sangue devido a raridade de seu tipo sanguíneo, o AB-. “Os médicos dizem que o meu sangue é raro, o AB negativo, e por exemplo, teve um período que eu morei em Maceió que só existiam apenas quatro doadores com esse tipo de sangue, então eles sempre me chamavam para doar, nunca soube para quem doei e isso virou uma rotina”.

Aos 59 anos, o servidor público voltou ao centro de coleta por uma causa maior: doar para a nora, e se sente completamente realizado. “Eu não sei dizer exatamente quando eu comecei [a doar sangue], mas doei sempre com muita regularidade e essa é a primeira vez que eu estou doando para alguém específico, eu sempre fiz doação voluntária. Hoje estou doando para minha nora”, afirmou.

 

AGORA RN

Essa publicação é um oferecimento

101 FM

Próxima Última página