Cidadania

Primeira “Cidade Provisória” é inaugurada no RS para abrigar vítimas das enchentes

05/07/2024


 

O primeiro Centro Humanitário de Acolhimento (CHA) foi inaugurado na manhã desta quinta-feira (4) em Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Denominado Recomeço, o espaço, conhecido como “cidade provisória”, foi planejado para garantir atendimento humanizado a famílias que perderam suas casas nas enchentes de abril e maio no Sul do país.

O Centro, que receberá cerca de 630 pessoas, conta com 126 casas modulares, banheiros, refeitório, lavanderia coletiva, berçário, fraldário, posto médico, policiamento 24h, ambientes multiuso e espaços para crianças e para animais de estimação. Tem, ainda, serviços de água, saneamento, energia elétrica e wi-fi gratuita. Também haverá assistência médica e social e atividades de integração. Além disso, as crianças receberão apoio psicológico e acompanhamento por psicopedagogos e pediatras especializados em desenvolvimento infantil.

Cada unidade habitacional, contendo 17 metros quadrados cada, pode receber até cinco pessoas. Elas estão equipadas com beliches, cama de casal e berços, conforme a necessidade de cada família.

O governo do Rio Grande do Sul. A iniciativa faz parte do Plano Rio Grande, que atua em três eixos de enfrentamento aos efeitos das enchentes: ações emergenciais, ações de reconstrução e Rio Grande do Sul do futuro.

O Centro contará com um posto da Brigada Militar 24h/dia. Além disso, a Secretaria Municipal de Segurança Pública (SMSP) de Canoas será a responsável pelas câmeras do circuito interno de monitoramento conectadas ao Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) e também pela vigilância privada. O local dispõe também do serviço da Guarda Municipal (GM) para resposta imediata às demandas de emergência pelo telefone 153.

Essa publicação é um oferecimento

Open Master - Agência de Desenvolvimento Web