Cidadania

Concurso dos Correios terá 3,2 mil vagas, a maioria para carteiro

02/07/2024


 

Os Correios divulgaram que o novo concurso público da estatal vai preencher 3,2 mil vagas, a maioria para o nível operacional de carteiro. Além disso, também foi anunciado um Programa de Desligamento Voluntário.

O edital do concurso deve ser publicado em agosto e a expectativa é de que os novos contratados sejam chamados ainda neste ano, em dezembro.

Conforme já divulgado, serão lançados dois editais: um para nível médio (cargo agente de Correios) e outro para nível superior (cargo analista de Correios).

Dentre as mais de 3 mil vagas, também haverá oportunidades para advogado, analista de sistemas, assistente social e engenheiro.

Antes disso, o último concurso em âmbito nacional realizado pela estatal foi em 2011, quando mais de 1,1 milhão de pessoas se inscreveram para 9.190 vagas de nível médio e superior.

Segundo anúncio dos Correios, realizar o concurso público é um dos compromissos assumidos pela atual gestão para solucionar a demanda acumulada nos últimos anos por mais profissionais em posições estratégicas da empresa e evitar a sobrecarga de trabalho.

“Os Correios têm uma defasagem de 4 mil a 5 mil cargos, mas no primeiro momento as vagas serão preenchidos pelos carteiros, que cobrem todos os municípios do país”, afirma Fabiano Silva dos Santos, presidente da empresa.

 

Programa de Desligamento Voluntário

 

O Programa de Desligamento Voluntário (PDV) prevê que sejam elegíveis os empregados do quadro de pessoal próprio dos Correios que estejam na situação de ativo na data do desligamento e que atendam, cumulativamente, até o último dia do mês anterior ao da data de encerramento das inscrições, aos seguintes requisitos:

 

Ter idade maior ou igual a 55 anos e menor que 75 anos;

Ter tempo de efetivo exercício nos Correios maior ou igual a 25 anos;

Possuir pelo menos 36 meses de remuneração, nos últimas 60 meses.

Ainda segundo o presidente dos Correios, o programa é uma demanda dos servidores da estatal. “Esse pedido é feito pelos próprios funcionários da ECT [Empresa de Correios e Telégrafos] que já estão há bastante tempo na empresa.”

 

Para ser aplicado, o PDV ainda precisa ser aprovado pela Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais – SEST/MGI.

 

G1.

Essa publicação é um oferecimento

LOJAS MG